#tbt Setembro de 2001.  A vinda de Julian Barnard ao Brasil – um marco para o desenvolvimento maior da Terapia Floral de Bach no país.

O selo do material distribuído nos eventos e a frente do convite para palestra do dia 25 de setembro no auditório da Faculdade de Enfermagem da USP

Desde que a situação do Afeganistão voltou a ser o foco do noticiário mundial, lembrei-me da vinda do mestre Julian Barnard ao Brasil, há exatos vinte anos – setembro de 2001. A Healingherbs estava celebrando dez anos de sua presença aqui. Além disto, recentemente, Julian havia saído vencedor de uma batalha “solo” e hercúlea junto à justiça do Reino Unido,  contra a gigante Nelson´s, empresa do ramo farmacêutico homeopático, para garantir a liberdade na produção dos Florais de Bach, tal como havia sido literalmente expresso pelo Dr Bach e seus seguidores; Nora Weeks e Victor Bullen.  É que, no final da década de 1980, a Nelson´s havia comprado do Bach Centre os direitos para a fabricação dos Florais de Bach, na tentativa de monopolizar algo que o próprio Edward Bach havia deixado livremente para a humanidade. Imaginem, por um momento, se o Dr Bach tivesse patenteado seus produtos e os métodos de preparação destes. Que consequências isto teria para os dias de hoje? Quem poderia preparar não só os florais de Bach mas outras essências florais com flores de todo o mundo?

Se hoje podemos escolher dentre os vários produtores de Florais de Bach existentes: da produção mais industrializada a mais artesanal, e também nos beneficiarmos de diferentes florais de todo mundo, devemos isto aos esforços e a determinação de Julian Barnard.

Assim, tínhamos muito a comemorar. Suas representantes/importadoras no Brasil, Beth Bruno e Amariys Cesar, da então HNCristiano, organizaram uma série de eventos: visitas a trabalhos sociais apoiados pela Healingherbs, viagens e palestras para ele. A agenda do Julian estava lotada.

No entanto, os ataques terroristas do 11 de setembro surpreenderam a todos. A jornada do Julian começaria praticamente dez dias depois dos mesmos e o mundo estava em choque. Até hoje, é difícil ver as imagens daquele dia. Esta data e este episódio marcariam para sempre o início deste século XXI. O mundo nunca mais seria o mesmo.

Imagino que Beth, Amarilys e Julian devem ter conversado muito antes de decidir o que fariam. Realmente, o mundo estava em polvorosa, em busca dos terroristas. Viajar de avião não estava nada seguro.

O bom foi que eles não se intimidaram. Julian veio e cumpriu sua agenda com louvor. Para a minha alegria, dentre seus compromissos, havia a visita a Os Seareiros/ Núcleo Mãe Maria. No início daquele ano, a própria Beth foi visitar a instituição para conhecer o trabalho social realizado com as crianças que frequentavam o reforço escolar – trabalho que introduzi em 1998, para avaliar a doação dos Florais de Bach para o mesmo.

Na foto colorida, Julian Barnard ladeado pela fundadora da instituição beneficente Os Seareiros, D. Sylvia Paschoal, o então diretor Marco Kairala, a Coordenadora Pedagógica do Núcleo Mãe Maria, na época, Leonor Chaib e Rosana Souto. Na foto em P&B grupo acompanhando Julian na visita à comunidade da Vila Brandina.

Bem, não só passamos a receber os florais, como Beth achou por bem levar o Julian para conhecer este trabalho com o uso dos Florais na Educação. O que para mim, naquela época, era normal, para eles era algo pioneiro. Naquela época eu não imaginava que na terra do Dr Bach não existia trabalho social nem tampouco o uso dos florais em sala de aula, administrados individualmente ou em sprays, pelas próprias professoras. Assim, o Núcleo entrou no roteiro do Julian Barnard.

No entanto, o Universo tinha-me reservado alguns bônus extras com relação a esta visita. O melhor dia, em função da disponibilidade do Julian e das atividades das crianças, era justamente o dia do aniversário do Dr Bach, dia 24 de setembro.  Outro bônus foi com relação à logística. Não tínhamos “Waze” nem Google maps de agora. A localização do antigo Instituto Cosmos de Terapia Floral era bem mais fácil de achar do que tentar ir direto para o Núcleo. Assim, combinamos de nos reunirmos na sede do Instituto Cosmos.

Foi a minha chance de mostrar àquele que foi responsável pelo meu chamado para ser seguidora do Dr Bach, não só o meu espaço, mas o livro de sua autoria que serviu como instrumento para isso, em 1989.  Assim, foi com muita emoção que assisti o Julian autografar o seu pequeno “A Guide to the Bach Flower Remedies”, na minha sala de cursos. De quebra, ele ainda autografou outros livros e deu um giro no quintal da casinha para conhecer a “prima” da Cerato, a nossa Bela Emília.

Uma passada rápida na antiga sede do Instituto Cosmos de Terapia Floral foi a oportunidade que tive para pedir ao Julian seu autógrafo no livro, que li em 1989, responsável pelo meu chamado para a Terapia Floral. Na foto colorida, Julian comentando sobre as diferenças da Cerato e nossa Bela Emília

Bem, creio que a emoção foi a tônica desta visita; para todos. Julian não esperava o que iria encontrar na Vila Brandina nem no Núcleo Mãe Maria. Saiu dizendo que estava sendo testemunha de uma nova dimensão do trabalho do Dr Bach: o uso dos Florais na Educação.

As crianças cercavam o Julian de todo jeito, queriam escutá-lo. A foto em P&B foi logo na chegada. Julian se agachou para poder ficar mais perto das crianças – e eu ali de tradutora. Além disto, as crianças prepararam uma série de apresentações para recebê-lo. Foi uma festa!

Esta visita trouxe grande repercussão para o trabalho realizado em Os Seareiros/Núcleo Mãe Maria, divulgando esta vertente e inspirando outras iniciativas no Brasil. O lindo pôster que Elizabeth Bruno mandou fazer usando as fotos que ela própria tirou, por ocasião de sua primeira visita ao Núcleo, fez parte da exposição dos trabalhos sociais apoiados pela Healingherbs Brasil, no saguão dos locais onde Julian iria palestrar em São Paulo: nos auditórios do Clube Paineiras e também na Faculdade de Enfermagem da USP.

Os pôsteres sobre os trabalhos sociais apoiados pela Healignherbs Brasil foram colocados no saguão dos auditórios atraindo a atenção do público

Eu, Rosana Souto, e a querida ex-aluna Daniela Barros, junto ao pôster do Núcleo Mãe Maria

Este “bônus” repercute até hoje no Brasil e no mundo. Idem com relação as demais iniciativas sociais apoiadas pela Healingherbs, já naquela época, que até hoje, são modelos inspiradores da dimensão social da Terapia Floral; especialmente, a ação da Pastoral da Saúde na região Amazônica precursora do Projeto Beth Bruno e do atual Instituto Healing (ex- Instituto Transformar Cuidando).

No entanto, a vinda do Julian Barnard, ao Brasil, naquele setembro, teve um outro objetivo igualmente importante: a apresentação do método de ensino Healingherbs para um grupo de professoras de todo país; um grupo comprometido a implantar um jeito novo de ensinar sobre os Florais de Bach com base na observação das plantas que lhe dão origem, dentro de uma proposta de autoconhecimento: um método que promove a conexão da alma humana à alma da natureza, num resultado sinérgico para o desenvolvimento da consciência planetária.

A semente do curso Aprenda a Usar os Florais de Bach foi lançada num delicioso brunch na casa da Beth, num domingo de manhã. O curso em si, só começou a ser realizado no ano seguinte, em 2002, até que estivéssemos condições de lançá-lo. No entanto, quanto ao curso e sua repercussão, ao longo destes anos, só vou falar no ano que vem, quando programa completa 20 anos no Brasil.

O brunch de domingo na casa de Elizabeth Bruno com a presença de diversas professoras para a apresentação da proposta do curso Aprenda a Usar os Florais de Bach. Dentre as presentes na mesa – da esquerda para direita: Lizete de Paula, Cristiane Boog, Irmã Marialva, Ruth Turrini, Olimpia Gimenez, Cynthia Asseff, Beth Bruno, Karen Denez, Rosana Souto, Julian Barnard e Amarilys Cesar

O grupo descontraído, podendo-se ver o “apoio” masculino na cozinha. Na foto em P&B, a Dra Kátia Kuchler, Ana Maria Santos e Rosana Souto

De antemão, basta dizer que a visita de Julian Barnard, em 2001, foi um pontapé certeiro para transformar o Brasil numa grande potência da Terapia Floral e inspirar novas abordagens do legado de Edward Bach. Só tenho a agradecer por fazer parte desta história.

Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para #tbt Setembro de 2001.  A vinda de Julian Barnard ao Brasil – um marco para o desenvolvimento maior da Terapia Floral de Bach no país.

  1. Mônica Rezende disse:

    Querida Rosana, que história emocionante! Conheci a Healingherbs através de um curso onde tive aula com a própria Luciana Chammas, em 2012. Apesar de ser facilitadora pela Healing, não fazia ideia destes fatos históricos. Um trabalho que com toda certeza dr. Bach está muitíssimo orgulhoso de testemunhar. O Espírito do sistema floral de Bach está preservado por profissionais pioneiros sim, como você. Guiados pelo coração, vão abrindo portas e construindo caminhos baseados na fraternidade universal.
    Meus parabéns!! Lhe admiro ainda mais!!

    • Rosana Souto disse:

      Monica, querida, obrigada pela visita e comentários!! Conhecer a história é importante para seguirmos em direção futuro, com bases sólidas. O legado do Dr Bach precisa de terapeutas e educadores jovens e conscientes como você para que consiga manter-se no rumo do Cura-te a ti mesmo e não sucumba a modismos. Conto com vc! Bjs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.