Ensinando sobre os Florais de Bach na Terrinha – “descobrindo” Portugal

Torre de Belém Lisboa Rosana Souto

A Torre de Belém, em Portugal, foi construída no local de onde partiam as naus portuguesas

Ontem, comemoramos 517 anos do descobrimento do Brasil, por Portugal. Independente, do que a História conta, atravessar todo um oceano, sem saber muito bem onde iria chegar, por si só, já é um fato que requereu muita coragem, determinação, autoconfiança e fé dos nossos patrícios que aqui chegaram.

Monumento aos descobrimentos Portugal

O Monumento dos descobrimentos foi erguido em homenagem aos grandes navegadores portugueses

Nada diferente do que ainda acontece com aqueles que ousam sair de sua zona de conforto para aventurar-se no novo. Que motivos regem este impulso tão determinado? Que características estão presentes nos seres pioneiros?

Alguns são movidos pela ambição, outros pelo idealismo/missão, outros, pela aventura em si – pelo prazer de ir ao encontro do novo. No entanto, a ambição desmensurada povoa a história deste Brasil ex-colônia e nos choca, até os dias de hoje, com as posturas aviltantes daqueles que governam este nosso País – uma herança ancestral que não cabe mais nos paradigmas de um novo tempo.

Por sua característica inovadora, a Terapia Floral, tem um caráter pioneiro e aquele que a pratica, sabe, de antemão, que teremos terrenos a desbravar, muros ou fortalezas para derrubar. Como costumo dizer aos meus alunos, problema nosso que decidimos vir para a Terra neste momento de início de milênio! Tanta coisa a fazer nesta fase de mudança de paradigmas! É muito possível que não vejamos nossos esforços frutificarem ao longo de nossa existência, mas como diria o Dr Bach, se deixarmos este mundo um pouquinho melhor, já terá valido a pena…

Assim, cada um de nós tem o pioneirismo em si. Alguns mais, outros menos. Isto é inerente de quem veio implantar ou ensinar sobre o novo. Aí, imaginem vocês como é ensinar no Velho Continente!

Curso Bach Lisboa 1

Eu, Rosana Souto, desbravando as fronteiras de Bach, em Portugal

Lá, não temos matas a desbravar. Temos muralhas, fortalezas a derrubar. Não são matas nem fortalezas físicas. São alicerces de sistemas de crença erguidos há muito mais tempo que os nossos. Assim, não é uma tarefa fácil. Muito pelo contrário. É uma tarefa hercúlea, semelhante àquela empreendida pelos antigos navegadores. Muito mais fácil, é navegar depois que o caminho já foi descoberto…

Espessura das muralhas Óbidos Portugal

A espessura da muralha e eu lá – Óbidos

Não por acaso, Dr Bach, nasceu, justamente, lá, no Velho Continente, deixando-nos um sistema altamente inovador, atemporal e capaz de derrubar todas as fronteiras para que possamos ver o Todo e atuarmos a partir da Verdade que vem de nossos corações.

No entanto, o que acontece, na Inglaterra e no mundo com relação aos Florais de Bach?

Muralhas na Inglaterra

Muralha na Inglaterra com uma White Chestnut florida ao fundo

Por incrível que pareça, quando lá cheguei em 2011, para participar de uma Conferência Mundial, organizada pela Associação Britânica de Florais e Essências Vibracionais em conjunto com a Aura Soma, estranhei o fato de não haver nenhuma apresentação sobre os Florais de Bach, na mesma. Havia stands que vendiam Florais de Bach de diferentes produtores, mas nenhuma menção significativa ao Dr Bach e seu trabalho pioneiro.

Conferência Mundial do Arco-íris 2011

Na Conferência Mundial do Arco-íris, na Inglaterra, em 2011, não houve uma única apresentação só sobre os Florais de Bach. O artigo sobre o projeto de ensino dos Florais de Bach para crianças foi lançado nesta Conferência, em Essence. Eu estava lá em função disto. Na montagem, Steve Johnson e eu com querida Anna Zee, editora de Essence, na época. No centro, Jan Stewart e Erik Pelham, presidente e vice-presidente, respectivamente, da BFVEA

Fiquei tão indignada que teve uma hora que precisei sair para caminhar e digerir o que eu estava presenciando, ali na terra do Dr Bach.  Posteriormente, descobri que muitos dos terapeutas que trabalham com novos sistemas florais, não trabalham com os Florais de Bach, pelo fato de os considerarem obsoletos. Obsoleto, Bach?!!! Mal podia acreditar!!

No entanto, isto não vigora só na Inglaterra. Em vários outros lugares do mundo, inclusive no Brasil, muitos terapeutas florais, não veem a importância de aprenderem sobre os Florais de Bach.

Por sua vez, muitos terapeutas Bach recusam-se a trabalhar com os novos sistemas, gerando uma grande separatividade no mundo floral. Um atraso de vida!!! Como podemos lidar com Bach, ensinando e fomentando a separatividade?

Em função deste cenário, é que em 2012, palestrei no encontro da BFVEA  ( vide  https://cosmosdrops.wordpress.com/2012/03/16/atualizando-bach-em-glastonbury/), justamente para trazer um novo olhar sobre a obra do Dr Bach. Na verdade, toda esta separação deve-se aquela velha questão da ambição e das inúmeras regras aplicadas à obra do Dr Bach. Pode isto, não pode aquilo, faça assim, faça assado, só existe este produtor “oficial”, todos os outros são falsificados…Como assim? Como por limites na obra de um homem que pregava a liberdade?

Edward Bach e a liberdade

Edward Bach foi um grande pregador da liberdade. Ele não só escreveu um artigo intitulado “Liberte-se” como, no final de sua obra, em uma de suas últimas palestras, encorajava-nos a exercê-la de todas as maneiras.

 

Para complicar, muitas destas regras ainda são perpetuadas por autoridades, professores e instituições relativas aos florais de Bach, em todo mundo. Está na hora de exercermos nosso poder de discernimento e rever muitos destes pré-conceitos. Já passa da hora de valorizarmos nosso próprio saber e seguirmos a verdade que vem coração.

Estas foram as razões que me levaram a criar o curso: A Arte ( ou Aprenda ) de/a Combinar os Florais que venho ministrando no Brasil desde 2013 e que Regina Barbosa, da Vitalflora, convidou-me para ministrar, nesta temporada, em Portugal. Que desafio!

A turma foi pequena. Dava para sentir a resistência das fortalezas. Há muito, Portugal, sedia um treinamento internacional calcado numa abordagem mais regrada dos Florais de Bach.

Curso Bach Lisboa 2017 grupo

O grupo das valentes pioneiras portuguesas e eu a navegadora 

No entanto, a despeito do número reduzido de alunos, as catarses foram intensas, transformadoras, ainda em sala de aula. Isto é a maior recompensa para aqueles que ousam semear em terras distantes. Do mesmo modo, nada substitui a oportunidade de vivenciarmos estes momentos em conjunto. O insight ou o sonho de um ( a ), beneficiando a todos ( as ).

Minha gratidão à Regina Barbosa, e a todos que ajudaram-me a lançar este novo olhar sobre a obra do Dr Bach, em Portugal. A semente foi plantada. Agora é aguardar o tempo certo para que ela floresça.

Curso Bach Lisboa Rosana com Regina, Nunes e Lina

Eu com Regina Barbosa e Manuel Nunes, da Vitalflora, e a amiga Lina Monteiro

 

P.S – aqui no Brasil, o curso A arte de combinar os Florais de Bach será ministrado em setembro, no final de semana de 16 e 17. Breve, mais informações.

Esse post foi publicado em Notícias, Uncategorized e marcado , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Ensinando sobre os Florais de Bach na Terrinha – “descobrindo” Portugal

  1. Mely Paula Rabadan Cimadevila disse:

    Rosana,
    admiro teu trabalho e partilho do que falas! Não na Terapia Floral essa concorrência e a negação de um legado. O mundo se expandiu e com ele surgiram vários Sistemas desde então, isso deveria ser motivo de união e ampliação da pesquisa floral. Revisitar sob outros olhares o princípio e o legado de Bach é vital para existência da própria Terapia Floral! Obrigado

  2. Ana Cristina Zeidan disse:

    Querida Rosana, achei perfeito este seu artigo; como você muito bem disse “desbravar matas é muito diferente de romper as Muralhas do Velho Continente”, só para quem vive nesses dois Mundos completamente diferentes sabe o quanto é desafiador esta Missão de Alma aqui nesta Terra. Contudo, quando agimos com a força do Amor Maior nos fortalecemos para continuarmos o nosso caminho. Sou e serei eternamente grata à sensibilidade dos teus ensinamentos que despertaram em min esta paixão eterna pela Obra do Dr. Edward Bach.

    • Rosana Souto disse:

      Ana Cris, querida, o que dizer sobre isto? Só me resta agradecer ao Pai por você ser este terreno tão fértil para que os ensinamentos que dispensei pudessem florescer de forma tão linda, gerando seus próprios frutos. Torço, todos os dias, por seu lindo trabalho aí na Suiça. Namastê! Bjs em seu coração!

  3. Janeth Pinto da Rosa disse:

    Rosana Souto conheci você em um dos encontros da Artflor em Porto Alegre-rs. Eu estava no início da minha caminhada como terapeuta floral, que por sinal teve como inspiração o dr. Edward Bach.
    Todo seu conhecimento, entendimento e prática a cerca da obra e filosofia de Edward Bach lhe conferem essa força e coragem que perpassa os limites das escrita, ultrapassando continentes.
    Foi com muita emoção que recebi e li suas experiências em Portugal e outros países.
    Seguir do Dr.Bach continua sendo um desafio. Parabéns. A obra dele está em ótimas mãos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.