Essências Florais na V Conferência da Rede Europeia para a Competência Social e Emocional ( ENSEC ) – uma conquista para a Terapia Floral em termos mundiais

Rosana Souto na V Conferência da ENSEC

Rosana Souto na V Conferência da ENSEC

A Rede Europeia para a Competência Social e Emocional ( European Network for Social and Emotional Competence ) – ENSEC, é uma rede crescente de pesquisadores e profissionais europeus interessados no desenvolvimento emocional e social de crianças e jovens, particularmente, no desenvolvimento da resiliência e competências social e emocional (veja mais em http://www.enseceurope.org).

Foi fundada por iniciativa de acadêmicos da Universidade de Malta, um pequeno país ( arquipélago ) no Mediterrâneo, que lá promoveram a primeira conferência internacional, em 2007. O evento reuniu centenas de delegados, de diferentes partes da Europa e países relacionados. Nestes, os programas e métodos de Aprendizado Social e Emocional ( SEL ) bem como classes especiais para isto, na rede escolar, são comuns. Começaram a surgir no início do século XXI, em função do conceito de Inteligência Emocional lançado por Daniel Goleman. Desde então, as Conferências da ENSEC acontecem a cada dois anos, para discutir novas tendências e diferentes abordagens para alcançar estes fins.

Em 2011, em minha primeira temporada na Inglaterra, descobri a ENSEC e sua próxima Conferência a acontecer na Universidade de Manchester, por meio de uma série de coincidências. Naquele ano, viajei para promover o projeto de ensino dos Florais de Bach para crianças, realizado no Os Seareiros/Núcleo Mãe Maria, cujo artigo havia sido publicado na revista da Associação Britânica de Florais e Essências Vibracionais – BFVEA. Educação emocional, social e, também, ambiental foram e são os principais objetivos do mesmo.

Assim, fui para Manchester cheia de entusiasmo e esperança. Será que alguém já teria ouvido falar dos benefícios que a pesquisa de Edward Bach representa para a área da Educação?

A Universidade de Manchester, berço da Engenharia Química, sede da Terceira Conferência da ENSEC - 2011

A Universidade de Manchester, berço da Engenharia Química, sede da Terceira Conferência da ENSEC – 2011

Bem, a resposta foi não. Possivelmente, eu era a única “practitioner” e Engenheira Química, em meio a centenas de Mestres e PhD´s em Educação, Psicologia, Médicos e áreas correlatas. Por outro lado, eu sabia que o fato de estar ali, no berço da Engenharia Química, na universidade por onde passaram o famoso Linus Pauling e outros autores da Química, não era por acaso…

A única pessoa com quem conversei, que já havia ouvido falar em florais, foi uma colega portuguesa, que estava fazendo uso da fórmula de emergência dos Florais de Bach, em função da sua apresentação. No mais, o que constatei foi uma triste realidade: naquele cenário norteador de pesquisas acadêmicas no âmbito da Educação Emocional, em termos mundiais, nunca ninguém havia ouvido falar dos benefícios das essências florais e do trabalho do Dr. Bach na Educação – nem mesmo na terra do Dr Bach! Eu era a única terapeuta floral em meio a tanta gente, a única com esta experiência no currículo. Assim, só me restava sair em campo para semear, ou melhor, fazer networking. Nestas horas, temos que deixar a vergonha e a timidez de lado e encarar o desafio. Eu não estava sozinha. Sabia que estava, apenas, sendo instrumento para a manifestação de algo maior. Assim, foi mais fácil.

As oportunidades vieram, as apresentações, as conversas rápidas com pessoas chaves…No final, saí de lá satisfeita. Perto de ir embora, um pesquisador belga fez-me a seguinte pergunta: você é a pessoa que trabalha com uns remédios de flores? Ou seja, a minha mensagem estava começando a correr de boca em boca…

No entanto, ainda custou até que eu pudesse retomar à ENSEC. Um grande período de mudanças pessoais fez com que eu deixasse passar a IV Conferência, na Croácia.

Quase perdi a V Conferência, agora em Lisboa. Descobri o prazo final da entrega de trabalhos, faltando quinze dias para o término do mesmo. Não tinha a mínima ideia se o comitê científico aprovaria minhas apresentações, meus abstracts, mas os fiz mesmo assim.  Correndo…

Para minha alegria, recebi a notícia da aceitação dos meus resumos poucos dias antes de embarcar para nova temporada na Inglaterra. Uma alegria e um problema, ao mesmo tempo. Eu não tinha condições de ficar no exterior até julho, nem poderia bancar sozinha uma nova ida a Europa, em tão curto tempo.

Assim, lá fui eu pedir apoio – coisa difícil, quando nossa tarefa transcende os interesses individuais. No entanto, a importância de garantir esta conquista para a terapia floral, especialmente no âmbito internacional, fez com que achássemos uma solução, em conjunto, para viabilizar minha ida à Conferência: os Florais de Saint Germain, seus representantes e amigos, em Portugal, foram os grandes responsáveis por este passo. À Neide Margonari, Talita e Franco Lazurri, Regina e Manoel Nunes, da Vitalflora – Portugal, e Tatiana Pereira, minha imensa gratidão.

A Faculdade de Psicologia, da Universidade de Lisboa,  e  abertura da Conferência pela Professora Celeste Simões

A Faculdade de Psicologia, da Universidade de Lisboa, e abertura da Conferência pela Professora Celeste Simões

A Conferência aconteceu na Faculdade de Psicologia, da Universidade de Lisboa, atraindo cerca de duzentos delegados de quarenta e quatro países diferentes. Uma grande diversidade!

Do Brasil, só eu, que iria apresentar-me, e a professora Márcia Fernandes, da Universidade Anhembi-Morumbi, de São Paulo, atraída pelo tema da Conferência: uma grata surpresa para fazer-me companhia nesta missão de divulgar as essências florais.

A hospitalidade dos colegas portugueses foi exemplar, fazendo-se presente nos lanches deliciosos, com direito a bolinho de bacalhau e pastéis de Belém, bem como na programação cultural, entremeando os dias de trabalho com um pouco da cultura portuguesa. O jantar de gala e a visita ao museu de Lisboa foram destaques da programação.

ENSEC detalhes do Museu de Lisboa Palácio Pimenta

Detalhes do Museu de Lisboa – Palácio Pimenta

Convento dos Capuchos, em Almada, sede do jantar de gala

Convento dos Capuchos, em Almada, sede do jantar de gala

Tudo correu de forma muito harmoniosa, organizada pela equipe dos professores: Celeste Simões, Paula Lebre, Alexandra Pinto, Augusta Branco, Lucia Canha, Paulo Gomes e Tânia Gaspar, tendo a eficiente Isabel Morais como braço direito. Um time gentil e acolhedor.

O grande time de colaboradores e organizadores

O grande time de colaboradores e organizadores – a esquerda abaixo Prof Kathy Evans, à direita Isabel Morais junto as Professoras Celeste Simões e Paula Lebre

Além das palestras principais, os quatro dias de conferência foram intensos, com muitas apresentações de pesquisas sobre educação emocional, resiliência, motivação, gerenciamento de agressividade, treinamento de pais, bullying, inclusão escolar, projetos que visam aumentar o envolvimento de jovens na sociedade, enfim, um grande universo para inspirar os participantes. Este ano, em função da proposta multicultural da Conferência, também tivemos apresentações relativas a equoterapia, relaxamento, palhaços na pediatria, danças e artes na promoção de bem-estar e aprendizado social e emocional. Daí a inclusão das essências florais.

Estas eram desconhecidas para grande maioria. Muitos confundem as essências florais com óleos essenciais, produtos com aroma, gerando confusão e desentendimento. Minha passagem pela Química e pela área de inovação tecnológica, foram fundamentais para que eu pudesse entender as essências florais, como uma nova concepção de produto e promovê-las de acordo com este novo paradigma. Mesmo assim, é comum percebermos os olhares e sorrisos incrédulos, quando apresentamos as características únicas das essências florais e seu simples método de obtenção. Nada diferente do que o próprio Dr. Bach enfrentou em suas reuniões na academia, com seus antigos colegas médicos.

O poster sobre o projeto realizado no Os Seareiros-Núcleo Mãe Maria

O poster sobre o projeto realizado no Os Seareiros-Núcleo Mãe Maria

Enfim, os organizadores destinaram-me um pôster sobre o projeto realizado no Os Seareiros/Núcleo Mãe Maria – A linguagem da natureza como instrumento para promover  aprendizado social e emocional (The language of nature as a tool to promote social and emotional learning ) e um workshop para falar do uso das essências florais como um caminho natural para tratar crianças que apresentam distúrbios de aprendizagem e comportamento (  The use of flower essences in Education: a natural way to address children with learning and behavioural disorders ). Infelizmente, o período de tempo destinado à exposição do pôster foi muito pequeno – parte de um dia, para o que o mesmo fosse visto por um número maior de pessoas. No entanto, ele estava lá, para quem precisava vê-lo. Meu agradecimento especial a minha filha Renata, por ajudar-me na confecção do mesmo.

O período destinado ao workshop também não foi muito favorável para atrair mais pessoas para o mesmo – o último bloco das apresentações, no sábado à tarde, antes da cerimônia de encerramento. Com o tempo bom em Lisboa, não tinha mais quase ninguém na conferência… Cheguei a duvidar se haveria gente para que eu o ministrasse. No entanto, o Universo surpreendeu-me. Para minha alegria, teve gente que estava esperando ansiosamente para ouvir-me…

Uma pequena turma com representantes da Jamaica, do País de Gales, dos Estados Unidos, da Inglaterra e de Portugal. Nada por acaso…A despeito de uma certa desconfiança, por parte de alguns presentes, diante do conceito inovador das essências florais e dos resultados alcançados, parece que o restante do pessoal não se arrependeu.  Os feedbacks positivos fizeram valer todo o esforço empreendido para que eu estivesse lá.

Meu breve workshop pode ser o início da utilização e a solução para países que buscam uma forma natural, sem efeitos colaterais, para ajudar milhares de crianças e jovens a superarem suas dificuldades de relacionamento e aprendizado, conduzindo-os a um futuro mais promissor.

Quando estamos a serviço de uma causa maior, nunca sabemos onde e quanto tempo a semente que lançamos irá germinar. Por este motivo, a paciência e a humildade, para sabermos aproveitar as oportunidades do caminho, são virtudes inerentes aos seres pioneiros, os semeadores do novo. Nosso único dever é semear.

Assim, o uso das essências florais na Educação, particularmente, a experiência brasileira para este fim, bem como as atividades relativas ao ensino dos Florais de Bach, para promover a educação emocional, social e ambiental em crianças e jovens são, agora, referências em termos mundiais. Os resumos encontram-se publicados nos anais da Conferência, distribuído aos participantes. Agradeço a todos do comitê científico da ENSEC por ajudarem-me a trazer as essências florais para este cenário.

Capa do Book  of Abstracts da V Conferência da ENSEC - editoras responsáveis Professoras Celeste Simões, Kathy Evans e Paula Lebre

Capa do Book of Abstracts da V Conferência da ENSEC – editoras responsáveis Professoras Celeste Simões, Kathy Evans e Paula Lebre e componentes do comitê científico

Ainda não sabemos que país sediará a próxima conferência. Sinceramente, espero que possamos aumentar a participação brasileira com mais resultados e pesquisas sobre os benefícios dos Florais na Educação. O passo inicial já foi dado. Vamos lá?

P.S – agradeço as colegas Denise Robles, pelos dados do Gotas de Flor com Amor, e Kátia Gonçalves, pelos desenhos enviados

Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , . Guardar link permanente.

10 respostas para Essências Florais na V Conferência da Rede Europeia para a Competência Social e Emocional ( ENSEC ) – uma conquista para a Terapia Floral em termos mundiais

  1. Elza Prado disse:

    Estou adorando o texto e como Terapeuta Floral e focada na educação como o caminho para promover mudanças, estou reblogando o seu texto. Parabéns Rosana Souto pelo lindo trabalho desenvolvido.

    • Rosana Souto disse:

      Obrigada, Elza! Na verdade, minha participação na V ENSEC teve como objetivo maior promover o trabalho que vem sendo desenvolvido no Brasil em termos do uso das essências florais na Educação, como um todo. O Brasil, é possivelmente, o país com mais experiência nesta área em termos coletivos, institucionais. Precisamos inspirar iniciativas semelhantes mundo afora para beneficiar o futuro das novas crianças. Um abraço!

  2. ana maria ramos contardo disse:

    Olá Rosana. Parabéns pelo sucesso e pelas conquistas. Anos de trabalho e dedicação que merecem o reconhecimento recebido. Bjs
    Ana

    Enviado do meu iPad

    >

  3. Valéria Romero disse:

    Querida Rosana, PARABÉNS!!!! Muita LUZ e Bençãos! Bjs mil. Val

    • Rosana Souto disse:

      Obrigada, querida Val, companheira desta jornada com as flores. Este foi, apenas, um pequeno passo. Ainda há muito a fazer e a conquistar para que as essências florais possam ajudar mais crianças em todo mundo. As barreiras contra o novo são muito grandes. Os diferentes diagnósticos atuais e a crescente medicalização da Educação são práticas comuns e dominantes nos países ditos do primeiro mundo. Leva-se tempo e muita perseverança para implantar um novo paradigma…Bjs!

  4. Kátia Regina Gonçalves disse:

    Certamente esse seu movimento é um divisor de águas em relação à Terapia Floral na educação.
    Anseio profundamente que nossas escolas acordem e se informem em relação aos benefícios que os florais oferecem às crianças, adolescentes, professores e a todo o âmbito escolar, acabando sempre nas famílias…e que adotem a Terapia Floral nas ESCOLAS.
    Fico na torcida e tentando fazer a minha parte…!
    Rosana, obrigada por nunca desistir, obrigada por cumprir seu chamado de alma, obrigada pela grande contribuição nesse sentido e obrigada por sempre partilhar seu vasto conhecimento na área da educação conosco, seus alunos . Valeu, Rosana! Parabéns, mais uma vez..! Grande abraço 🙏🏼👍🏼🌸🌻🌷🍀🌿🌾🌲🌵

    • Rosana Souto disse:

      Kátia, querida, obrigada pela torcida, e por fazer a sua parte neste propósito também. Há muito a ser feito e vocês, meus ex-alunos, são extensões dos meus braços e do meu saber. Conto com vocês! Bjs!

  5. Mely Rabadan Cimadevila disse:

    Rosana,
    estou encantada com tua coragem e disposição ao desafio. Tão mais fácil é restringir-se ao atendimento em consultório ou a utilizar dos florais. Entrei em contato com teu trabalho em workshop promovido pela Rogéria Comim, em POA ficando mobilizada.
    Considero que nós que utilizamos florais temos conhecimento dos resultados, mas dai à sua divulgação vai um trecho! Trabalho com Educação Especial como professora em uma sala de recursos, me incluo entre os beneficiários dos florais que não participam de pesquisas. Venho reconsiderando esta postura embora não saiba bem por onde iniciar.. Reconheço que o trabalho do Dr. Bach tem base científica consistente, mas temos que avançar. Necessitamos de mais registros e divulgação de resultados em fóruns de discussão de Saúde Emocional de forma à acrescentar no desenvolvimento da Terapia Floral.
    Parabéns!
    Agradeço

  6. Olá Rosana, gratidão pela oportunidade de estar lendo a respeito deste belissimo trabalho de semeadura e neste ano estar participando desta empreitada aqui na Inglaterra. Beijo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s